Utilização de Azospirillum brazilense via pulverização foliar em função da redução de nitrogênio e aumento da produtividade de milho (Zea mays L.).

O milho (Zea mays L.) é uma cultura que demanda grandes quantidades de nutrientes, sendo o nitrogênio o mais exigido pela cultura. O gênero Azospirillum promove benefícios diretos e indiretos, destacando-se o processo de fixação biológica de N e a produção de fitormônios.

Em virtude disso, o objetivo do presente trabalho foi avaliar a eficiência de Azospirillum brasilense, em relação à massa seca, Spad, altura de planta e produtividade de milho cultivado com diferentes doses de N. Os experimentos foram realizados em duas áreas distintas, localizadas nos municípios de Lagoa Formosa – MG (Fazenda Tamboril), e em Patos de Minas – MG (Campo experimental-EPAMIG). O Azospirillum brasilense, foi aplicado na concentração de 1×108 por ml, via pulverização na dosagem de 500 ml/ha-1 no quarto estádio vegetativo, com vazão de 120L/ha-1.

Os dados foram submetidos à análise estatística, pelo teste de Scott-Knott a 5%. Para a avaliação de massa seca, os tratamentos foram estatisticamente iguais, exceto na Fazenda Epamig, em que os resultados foram inferiores aos demais tratamentos. A avaliação de Spad demonstrou que a atividade fotossintética nos terços médio e superior foi mais elevada quando comparada com o terço inferior da planta.

CLIQUE AQUI PARA LER A NOTÍCIA COMPLETA
Postado por Lab. Farroupilha em 30/03/2018